HomePtLÍNGUA E LITERATURAo que é, características, peças, como fazer, exemplos

o que é, características, peças, como fazer, exemplos


Um ensaio científico é um texto em prosa onde o autor desenvolve ideias relacionadas à ciência em uma linguagem técnica, expressando seu ponto de vista

O que é um ensaio científico?

A ensaio científico é um texto escrito em prosa, relativamente curto e dedicado a um tópico específico relacionado à ciência. O autor desenvolve as ideias de forma organizada com linguagem técnica, expressando um ponto de vista pessoal.

Embora um pesquisador possa ter vários propósitos ao escrevê-lo, em última análise, seu objetivo é persuadir os leitores. Por exemplo, comparando e contrastando duas teorias, o escritor espera convencer os leitores da superioridade de uma sobre a outra.

Da mesma forma, a produção de um ensaio científico pode ter como objetivo que se conheça a opinião pessoal do autor em relação ao tema desenvolvido. Para que esta opinião seja válida, ela deve ser apoiada por argumentos suficientes e válidos.

Há muitos exemplos de ensaios científicos: sobre mudanças climáticas, sobre a origem da vida, sobre poluição, sobre aborto, sobre aquecimento global, sobre doenças mentais, sobre COVID-19, etc.

Características do ensaio científico

brevidade e singularidade

O ensaio científico é breve e único. Apresenta um tema novo que é o eixo central do ensaio. Simultaneamente, deve cumprir a exigência de brevidade, mas sem ignorar os dados relevantes que são a base estrutural do ensaio.

Caráter pessoal

É uma escrita de caráter fundamentalmente pessoal em que são expostas as próprias ideias do autor. Estes são apoiados ao longo do ensaio por evidências fornecidas por pesquisas e ideias próprias e de outros ensaístas, devidamente citadas.

variedade de tópicos

Em geral, esse tipo de ensaio pode abranger uma infinidade de tópicos. Praticamente, não há área da ciência que não seja útil para a produção desses trabalhos de pesquisa.

Suficiência de Conteúdo

O conteúdo do ensaio científico é escrito com a suficiência necessária para sustentar as próprias ideias e refutar as que se opõem a ela.

Pensamento lógico e argumentação

Tanto a forma como o tema é apresentado quanto a sequência de seu desenvolvimento se baseiam em esquemas racionais e razoáveis. Isso torna mais fácil defender suas próprias posições.

Originalidade do conteúdo

O conteúdo dos ensaios científicos deve ser inovador e controverso. O plágio é muito desaprovado e às vezes até legalmente condenado.

rigor

O processo de pesquisa e análise é produzido seguindo os cânones de alto rigor. Deve ser rigorosamente ajustado à realidade e não omitir nenhum tipo de informação.

discurso profissional e agradável

Os principais leitores de um ensaio científico são os especialistas do tema central. Diante disso, o discurso deve ser especializado, objetivo e atraente, mas divertido o suficiente para não perder a atenção.

Estrutura (partes) de um ensaio científico

Título

O título de um ensaio científico informa o leitor sobre seu conteúdo. Isso deve ser conciso e informativo.

Retomar

No resumo, o autor indica a utilidade do tema abordado, os principais subtemas que podem surgir e delineia outros conceitos que são discutidos no trabalho. As ideias propostas pelo ensaísta são brevemente explicadas.

Resumo também é conhecido como Resumo. Em geral, limita-se a um número máximo de palavras, que varia entre 250 e 300.

Introdução

O ensaísta dá uma visão condensada do assunto que será tratado na escrita. Para tanto, indica os pontos preliminares do assunto e as condições da origem.

Aborde a pergunta que o ensaio está tentando responder ou forneça uma descrição que ajude o leitor a saber sobre o que é o ensaio. Descreva o que será discutido; as razões pelas quais o tema do ensaio é importante e quais casos específicos serão discutidos.

Da mesma forma, alude às conclusões a que chegará. A introdução representa cerca de 10% da redação.

Conteúdo (corpo do ensaio)

O conteúdo ou corpo do ensaio inclui a discussão aprofundada do tema escolhido. Cada uma das seções da exposição é desenvolvida seguindo os critérios selecionados. Esse desenvolvimento deve ter conteúdo suficiente, profundidade e seguir um estilo de fácil compreensão, na medida do possível.

A parte principal desta seção é composta pela exposição pessoal e sua argumentação, bem como pelo confronto das ideias do ensaísta com as de outros autores que trataram do mesmo assunto.

As propostas desenvolvidas nesta seção são apoiadas por evidências. É costume encerrar esta seção fazendo uma síntese com novas questões para trabalhos futuros. O desenvolvimento desta parte do ensaio costuma constituir 80% do trabalho.

Conclusões

Nas conclusões dos ensaios científicos, os ensaístas mencionam os resultados mais relevantes do trabalho. Eles também explicam o tipo de metodologia utilizada para chegar a tais conclusões e indicam como alcançar uma compreensão mais profunda do assunto.

Como encerramento, o autor indica aos leitores os campos de aplicação prática do estudo realizado e apresentado no ensaio.

Referências ou fontes

Nesta parte final, o autor cita todas as fontes consultadas para o desenvolvimento de seu ensaio, citadas segundo padrões internacionalmente acordados.

Tópicos de Ensaio Científico

Alguns exemplos de tópicos de ensaios científicos são:

  • COVID-19.
  • Mudança climática.
  • Poluição ambiental.
  • Aquecimento global.
  • Doenças mentais: depressão, ansiedade, esquizofrenia.
  • Dependência de drogas.
  • clonagem de animais.
  • Células mãe.
  • Inteligência artificial.
  • Dependência de redes sociais ou doenças mentais associadas.
  • Alcoolismo.
  • Origem da vida.
  • Vida extraterrestre.
  • exoplanetas.

Como fazer um ensaio científico?

Existem várias etapas que podem ser seguidas para realizar esse tipo de teste:

1. Seleção do tema

Nesta parte, o ensaísta seleciona o tema dentro de uma determinada disciplina, que geralmente é sua área de especialização.

Muitas vezes, a seleção é produto de suas reflexões durante sua atuação profissional.

2. Delimitação do tema

Uma vez selecionado o tema, o próximo passo é a delimitação do seu estudo. Nesse nível de investigação, o autor considera as hipóteses iniciais, questiona-se sobre a viabilidade de resolver o problema e estabelece o escopo de seu trabalho.

3. Coleta de informações

Corresponde à etapa em que o autor procede à localização e leitura de diferentes materiais informativos sobre o tema selecionado. Para fazer isso, vá a diferentes fontes, como livros, internet e revistas.

Uma vez coletado o material, o ensaísta passa a revisá-lo, lê-lo e resumi-lo, selecionando as informações mais pertinentes, que o ajudarão a posteriormente afirmar ou refutar suas próprias conclusões iniciais.

4. Determinação da linha argumentativa

Consiste em estabelecer a sequência em que o trabalho será apresentado. Além disso, o material (bibliografias, experimentos, resultados, entrevistas) é organizado para incorporá-los quando apropriado.

5. Seleção de informações

Dependendo da linha de argumentação escolhida, o ensaísta seleciona as informações que servirão para sustentar sua tese principal.

Nesta fase, o pesquisador relaciona as informações coletadas com os objetivos de seu trabalho e com os resultados de suas investigações ou experimentos.

6. Descrição das fontes

Consiste no esboço da possível bibliografia que será incluída no final do trabalho. Nesse sentido, todas as informações detalhadas são coletadas, como título da obra, autor, data de publicação e outras.

7. Redação do texto

A elaboração do rascunho do texto consiste na montagem e redação das informações. O critério principal nesta seção do ensaio é a fluência e compreensão do texto.

8. Correção de rascunho

A revisão é feita com atenção à linha argumentativa e expositiva. Ao mesmo tempo, citações e paráfrases, referências entre parênteses, notas de rodapé e referências finais também são revisadas.

O processo de correção de rascunho é realizado em duas fases:

  1. A primeira consiste numa primeira revisão em que se verifica tanto o conteúdo como a organização do ensaio: coesão e coerência entre o conteúdo e os objetivos.
  2. A segunda revisão enfoca aspectos gramaticais: sinais de pontuação, acento, concordância entre gênero e número e ortografia.

Exemplos de Ensaios Científicos

1. Ensaio de Charles Darwin

Seu título original em inglês foi Sobre a origem das espécies por meio da seleção natural ou a preservação das raças favorecidas na luta pela vida. Foi publicado em 24 de novembro de 1859.

Neste ensaio científico, Darwin apresentou uma grande quantidade de evidências.ebas para mostrar que as diferentes formas de vida surgiram de uma descendência comum. A diversidade da vida foi um processo posterior que seguiu um padrão ramificado de evolução.

2. Ensaio sobre depressão

Visite aqui.

3. Teste em SARS-COV-2

Visite aqui.

4. Ensaio sobre aquecimento global

Visite aqui.

5. Ensaio sobre a origem da vida

Visite aqui.

Referências

  1. Universidade Nacional de Trujillo (s/f). O ensaio. Extraído de econ.unitru.edu.pe.
  2. Universidade Universal (s/f). Formato APA: Padrões APA atualizados. Extraído de uupr.org.
  3. Tudo sobre ciência (s/f). Origem das Espécies – Teoria e Prática. Extraído de allaboutscience.org.

Must Read

%d bloggers like this: