HomePtLÍNGUA E LITERATURAo que são, tipos e características, exemplos

o que são, tipos e características, exemplos

- Advertisement -


O que são morfemas derivados?

o morfemas derivados são aquelas partículas que são adicionadas à raiz de uma palavra para formar novas palavras.

Lembre-se que um morfema é a menor unidade da linguagem com seu próprio significado. Se fosse dividido, ficaria uma palavra sem sentido e sem sentido gramatical.

Quando falamos de morfemas derivados, estes são adicionados antes ou depois da raiz e formam palavras com significados diferentes. É por isso que se diz que as palavras derivadas são formadas pela raiz e pelos afixos.

A raiz é a parte básica da palavra. Por exemplo, a raiz de canta gostaria não pode. Os afixos são os elementos que unem as raízes, modificando seu significado formando novos termos. Por exemplo, não podear, não podeumant, não podequalquer: as três palavras estão relacionadas e têm significados diferentes.

Vamos dar outro exemplo, as derivações esperaruma, esperarumanza, desesperarumanza S desesperarumalançado têm como elemento comum “esper”, que é a raiz. O resto dos componentes da palavra (anza, des, ado), representam os morfemas derivados.

Neste exemplo, você pode ver que os afixos podem ser prefixos e sufixos. Os prefixos são as partículas que são colocadas antes da raiz e os sufixos são colocados depois dela.

É importante notar que os morfemas derivados não indicam gênero, número, pessoa, tempo verbal ou humor nas palavras recém-criadas. Eles apenas intervêm na derivação e, em muitos casos, alteram a categoria gramatical dos novos termos.

O processo de misturar lexemas ou raízes com morfemas derivacionais é conhecido como derivação. Este processo é o mais produtivo na língua espanhola porque se traduz em expansão de vocabulário.

Tipos de morfemas derivados e suas características

prefixos

Prefixos são aqueles elementos com valor semântico que precedem a raiz ou outro prefixo. O processo derivado de criação de novas palavras usando esse tipo de morfema é conhecido como prefixação. Em espanhol, estes vêm do latim e do grego.

Os prefixos podem ser negativos, locativos, temporais, quantitativos e intensificadores.

– Negativos indicam privação ou decepção,

– Locativos indicam uma relação espacial, como distância,

– Temporais, relação temporal, como posterioridade,

– O quantitativo expressa ideia de quantidade ou tamanho,

– Os intensificadores, excesso ou preeminência.

Existem muitos prefixos que fazem parte da linguagem. Entre outros morfemas derivados desta classe, podemos citar: a (negação), bi (dois), circum (ao redor), contra (oposição), infra (abaixo), inter (entre), pre (antes) e pro ( em frente de).

Por outro lado, existem alguns prefixos latinos em espanhol que não são mais considerados como tal. A razão para isso é que eles perderam a capacidade de combinar livremente com outras palavras.

Podem ser mencionados dentro deste grupo: abs (separação), ad (proximidade), es (fora ou privação) I (decepção).

exemplos

  • antes (antes): tendo em vistacedente, tendo em vistabraço, tendo em vistaTenda do mercado.
  • Anti (contra): antiético, antiestético, anticoncepção.
  • Próprio (por si só): autoserviço, autoao controle, autoEditar, autoproclamar.
  • Bi (dois): bicâmera, bilado, bipor mês, bilingual, bienal
  • Centavo (cem): centavometro, centavoenário
  • Contra (oposição): contraproposta, contrapeso, contrarelógio, contraresistir.
  • Co, com ou com (união): comjuntos, compaixão, coAutor.
  • Des (negação ou inversão do significado original): desdobrar, desser dito, desFaz, descobrir.
  • Entre (qualidade ou situação intermediária): Entrelazar, EntreTer, Entreabrir.
  • Ex (algo ou alguém que foi e não é mais): exlutador, excarregar, excônjuge, exPresidente.
  • Hiper (excesso ou superioridade): hipercalórico, hipertenso, hiperativo.
  • Homem (o mesmo): homográfico, homosexual, homoGênero sexual.
  • Eu, em (oposição): dentroevitável, Eu estoudescartável, dentrodestrutível.
  • Inter (entre, entre): entreatuação, entreestelar, entrecolocar, entreação.
  • Ruim ruim): erradotratar, erradopensando, erradoviver, erradodizer, erradoacostumar, erradocriado.
  • Macaco (um): arcotom, arcopatins, arcoriel.
  • A favor (juntos, contra, à parte): pormédico, pormilitares, pornormal.
  • Poli (vários): policialglota, policialvalente, policialjogo.
  • Pré (precedência local ou temporal): prévisto, préClaro, préhistórico, prépôster.
  • Pro (a favor de, na frente de, impulso, multiplicação, origem): prócolocar, próhomens, própagar, prójogada, prólogotipo, prógenitura, pródar.
  • Re (novamente, com intensidade): tentar, nascido, novo em folha
  • Semi (metade de algo, quase): semitoupeira, semiDeus, semisólido.
  • Pseudo (falso): pseudoCiência, pseudoEu posso.
  • Over (excesso, intensificação): sobrevestem, sobrecolocar, sobreexcitar.
  • Sub (abaixo): subterreno, submundo, subalimentação.
  • Super (superior, acima): supercondutor, superhomens, superComida.
  • Tele (remoto): televisãocinese, televisãoao controle, televisãométrica.
  • Uni (único, um): unicâmera, unipolar, univalente, unicornio.

sufixos

Sufixos são os afixos que são colocados após a raiz ou outro sufixo. Eles podem criar novas palavras combinando categorias gramaticais (substantivos, verbos e adjetivos). Cada uma dessas categorias tem seu conjunto de sufixos para combinar.

Os sufixos podem ser aspectuais e apreciativos. Aspectuais são divididos em nominais (substantivos), adjetivos (adjetivos) e verbais (verbos).

Os apreciativos podem ser diminutivos (apreciação ou simpatia), aumentativos (excesso, zombaria), depreciativos (repulsa, zombaria) e superlativos (intensidade máxima).

Por exemplo, entre os sufixos que podem ser usados ​​para formar adjetivos são eles: -bundo (intensidade), -ble (capacidade) e -al (pertencente ou relativo). Da mesma forma, os substantivos podem ser criados usando os sufixos -aje (ação ou lugar), -ción (ação) e -anza (ação, efeito ou carga).

exemplos

  • Al (pertencente a, relacionamento com): socipara ogenitaispara omentepara océrebropara omedicamentopara oinvernopara o.
  • Ado (semelhança, ação/efeito, carga, conjunto): nacaralvoroçoconsultealvoroçoprofessoralvoroçoreitoralvoroço.
  • Ariano (profissão, lugar): santuarianoervaarianocompanhiaarianobibliotecaariano.
  • Fobia (medo de): claustrofobiaaracnofobia.
  • Grama (log): cardiogramacérebrogramacalgrama.
  • Ism (sistema, doutrina, movimento): islamismoismoperíodoismoconformeismosurrealismocomumismo.
  • Itis (infecção, inflamação): otivocêsperitônioisso éseioisso é.
  • Ico-ica (característica de): trigonométrI CaregistroíconeCarvãoI Caátomoícone.
  • Osis (desgaste, desordem, condição médica anormal): ácidoosisessencialosistromboosis.
  • Ma (efeito, resultado): edemãeteoriamãe.
  • Logia (estudo, tratado, ciência): oftalmoapresentarFisioapresentarbactériaapresentarbiografiaapresentar.
  • Ina-ino (pertencente): cervantem umpalatoeu não.
  • Tipo (impresso): logotipoModeloarcoModelofenoModeloprotoModelo.
  • Tomia (corte, porção): lobotomoumastectomou.
  • Ucho-ucha (derrogatório): hotelMuito dejornalMuito deflacuchasai foraucha.

Interfixos

Interfixos são segmentos localizados ou localizados entre a raiz e o sufixo.

Por exemplo: nuvem de poeira

– (raiz) –ar (interfixo) –era (sufixo).

Agora, nem todo morfema localizado entre uma raiz e um sufixo é necessariamente um interfixo. Há momentos em que é outro sufixo.

A maneira prática de identificar um interfixo é remover o morfema final da palavra. Se ao fazê-lo o que resta não tem significado, então é um interfixo.

Em caso de pó-ar-edase removermos o sufixo (-era), restos em pó, que não tem significado em espanhol. Portanto, –ar é um interfixo.

Caso contrário, é então outro sufixo. Vejamos outro exemplo: punhalada.

punho (raiz) –para o (interfixo) –ada (sufixo).

Se removermos o sufixo final, ficamos com punhal, que tem significado na linguagem. Portanto, –para o seria outro sufixo.

exemplos

  • curso-a-ada
  • Arquiteto-sobre-ico
  • Cao-vocês-ico
  • Pão-de Anúncios-isso foi
  • Água-c-ero
  • Trabalho-j-urso
  • Lavagem-n / D-ero

circunfixos

São afixos que cercam a raiz. São conhecidos como descontínuos porque são combinações de prefixos e sufixos que “vestem” a raiz.

Circunfixos são casos muito particulares de afixos. Eles ocorrem muito raramente em espanhol.

Em nossa linguagem, há casos que seguem processos de circunfixação. Um exemplo disso é a palavra afrancesar.

a + francês + ar

exemplos

  • des-raiz-ar
  • UMA-caminho-ar
  • des-Concha-ar
  • UMA-bombear-ar
  • Dentro-sujo-ar

Referências

  1. Gonzalez Martin, A. (2013). notas latinas. Madri: Bubok.
  2. Orozco Turrubiate, J.G. (2007). etimologias gregas. Naucalpan de Juarez: Pearson Education.
- Advertisement -
- Advertisement -
Stay Connected
16,985FansLike
2,458FollowersFollow
61,453SubscribersSubscribe
Must Read
- Advertisement -
Related News
- Advertisement -
%d bloggers like this: