HomePtLÍNGUA E LITERATURAo que é, significado, marcas literais, exemplos

o que é, significado, marcas literais, exemplos


A literalidade representa a fidelidade do que está escrito, com um significado exato

O que é literalidade?

o literalidade é uma qualidade, condição, característica ou virtude relacionada ao literal. Do ponto de vista literário, essa expressão representa a fidelidade de um conjunto de palavras expostas em um texto com um significado exato e próprio.

Apesar da “obviedade” por trás das palavras, sua interpretação pode variar de pessoa para pessoa. Portanto, a precisão do que é expresso deve ser sustentada pelo tipo de linguagem e apresentação do texto.

Aqui vale a pena mencionar que esta palavra também se aplica a outras disciplinas, como tradução e direito comercial. Na primeira, por ser uma especialização da literatura, a tradução deve ser apoiada por um profundo conhecimento do idioma e de seus recursos, a fim de obter um resultado semelhante à versão original.

No direito comercial, faz-se referência à execução das deliberações previstas no texto, especialmente os chamados valores mobiliários.

Significado literal

A literalidade é a fidelidade às palavras de um texto ou ao significado exato e próprio. Portanto, essa expressão é entendida para abranger a apresentação das palavras e como elas devem ser percebidas pelo leitor.

Como mencionado acima, a literalidade se estende a diversos campos do conhecimento humano, sendo um deles o direito comercial. Indica que esse termo é uma das principais características da lei, pois a lei é regida pelo que está escrito no documento (neste caso, os títulos).

Nesse ponto, pode-se acrescentar o significado de literalidade no campo jurídico, extraído do Gerencie.com:

“… O direito literal é aquele que está contido em cartas, escrito em documento (…) única e exclusivamente o que nele está escrito é válido.”

tipos de idioma

Existem dois tipos de linguagem, conotativa e denotativa, de modo que o significado pode variar de acordo com os recursos utilizados pelo autor. Diante do exposto, fica definido o seguinte:

  • linguagem conotativa: é uma espécie de recurso subjetivo e poético, para dar outros significados de acordo com as palavras utilizadas. É usado na linguagem literária.
  • linguagem denotativa: indica o real significado das palavras, pois não permite interpretações livres. Baseia-se em termos técnicos, objetivos, precisos e referenciais. Isso é considerado como um tipo de linguagem não literária.

marcas literais

Diante do exposto, obtêm-se diferentes tipos de marcas:

Polissemia: refere-se ao conjunto de significados que uma palavra contém e isso é alcançado dependendo da apresentação do texto. Para alguns especialistas, é um recurso amplamente utilizado pelos autores para dar elegância e contundência aos seus escritos.

Metonímia: é a mudança de significado de uma palavra quando combinada com outra.

Comparação: expressa semelhança e pontos em comum entre duas palavras, portanto, devem ser usados ​​links (por exemplo, “tal”, “como”, “parece”), para estabelecer essa conexão.

Metáfora: usado para dar uma qualidade imaginária a uma pessoa, animal ou objeto, sem usar um link.

Anáfora: é a repetição de palavras para dar ritmo ao texto.

epíteto ou adjetivo: é a adição de um adjetivo a um determinado assunto para apresentar ou destacar alguma qualidade dele.

Antítese: Contraposição de dois termos que têm significados opostos.

Prosopopeia: é a atribuição de sentimentos, palavras e outras qualidades humanas, a objetos e animais.

hiperbaton: inversão da ordem das frases para dar ritmo e musicalidade ao texto.

Ironia: Este é um dos recursos mais populares em textos, pois se concentra em implicar um significado diferente do que poderia ser entendido literalmente. Portanto, ele usa a zombaria para transmitir a mensagem.

literalidade na tradução

Essa expressão também se estende a outras disciplinas, incluindo a tradução. Um aspecto importante, neste caso, tem a ver com a habilidade do tradutor, pois ele deve preservar o sentido principal do texto original para traduzi-lo em outro idioma.

A literalidade deve ser, em certa medida, flexível, pois deve preservar o espírito refletido na escrita, além de utilizar seus conhecimentos na área. Portanto, dois aspectos importantes da literalidade e seu uso na tradução são destacados:

– Permite eliminar diferenças de um idioma para outro.

– Ajuda a entender como os outros pensam sobre um determinado tópico.

Literalidade na lei

Nesta disciplina, a literalidade está diretamente ligada ao direito comercial, especificamente aos valores mobiliários.

– A garantia pode ser: cheques, notas promissórias, letras de câmbio, ações de uma empresa ou recibo de depósitos em depósito.

– O conteúdo literal é importante e decisivo, dependendo do que o valor do título contém.

– Apenas o que já está mencionado no documento pode ser executado, portanto, deve ser feita uma descrição detalhada dos direitos e dos aspectos relevantes a serem executados.

– Não serão incluídos acordos verbais, mesmo que envolvam uma ação voluntária entre as partes.

– Segundo especialistas, a literalidade é cumprida em duas fases: uma que tem a ver com a redação do documento conforme estipulado na lei, e outra que corresponde às ações que a pessoa que recebe o benefício desse título deve tomar .

exemplos literais

– O coração é o principal órgão do sistema circulatório. Sua função é impulsionar o sangue por todo o corpo.

– O problema da inserção laboral decorre basicamente da incapacidade do sistema socioeconômico.

– … O evento mais antigo que pode ser datado no universo (…) remonta a cerca de 12.000 milhões de anos.

– O corpo humano adulto tem 206 ossos.

– A distância entre a Terra e a Lua é de 384.400 km.

– A fotossíntese é um processo químico realizado pelas plantas que transforma o dióxido de carbono em oxigênio a partir da luz solar.

Must Read

%d bloggers like this: